Você sabe qual é a essência da sua marca?

Next Post

Marcas são como pessoas e isso já é bastante sabido entre a gente. Da mesma forma que escrevemos listas de resoluções de ano novo, criamos promessas inviáveis e tentamos todo santo dia lidar com os nossos defeitos, algumas marcas seguem no ritmo e não fazem diferente. Marcas também tem aqueles pequenos defeitinhos, os erros de consistência e muitas divergências entre planos de negócio com planos de comunicação. Mas acredite, isso não é o fim do mundo desde que a gente lide com a verdade e saiba administrar quais são os pontos que merecem mais a nossa atenção.

Ontem, numa reunião com duas clientes queridas, estávamos na fase de humanização da marca e criação de persona. Reuni anotações baseadas no diagnóstico de branding delas e das concorrentes, nas nossas conversas pessoais e na minha percepção ao analisar os pontos de contato. Criei uma persona para a marca. Apresentei uma pessoa cheia de energia, porém, com várias pequenas imperfeições. Sem muitas esperanças de validação, para o meu espanto, as duas clientes se surpreenderam com a assertividade e se encantaram com a maneira que elas se enxergavam naquela personagem recém desenhada.

A verdade do que está no papel e a verdade na hora de implementar são duas coisas distintas. No dia a dia não percebemos muito esse diálogo entre a teoria e a prática. A gente que trabalha com branding fica cada dia mais treinado a olhar para essas inconsistências e notar com mais clareza essa oscilação entre o ser, o não ser, o parecer ser e o nunca seremos (até virar tendência). Temos diversas marcas no mercado que falam o que todo mundo tá falando, se apropriam das tendências de design, usam expressões semelhantes ao que todo mundo anda falando, comentam sobre assuntos que estão na moda até que, seis meses depois, já esqueceram quem eram e se tornaram uma nova pessoa. O que podemos concluir? Essa marca não sabe quem ela é de verdade.

Apesar dos pequenos problemas de execução, tudo o que essas nossas clientes vinham fazendo em relação à comunicação delas era tão verdadeiro, tão proprietário que não tinha como não extrair dali o cerne de todo nosso trabalho de construção da marca. Mesmo que o insight tenha surgido depois de muitas discussões e análises, o fato delas virem executando um trabalho repleto de verdade, sem inventar histórias e sem parecer o que não eram, foi importantíssimo para que chegássemos em um ponto crucial do trabalho de branding: a essência da marca.

O que é a essência de marca?

A essência da marca é uma ideia que vai definir o que move a marca, qual o papel dela no mundo, o que ela entrega de mais relevante para o seu público. Esse pensamento deve vir de dentro pra fora. Ele vai definir as diretrizes estratégicas de branding, como a marca se relaciona com os públicos de interesse, que ações são coerentes com a marca entre outros fatores. A essência da marca faz uma ponte entre as características emocionais e racionais da marca. Descobrimos a essência da marca quando estamos fazendo um trabalho de identidade, um dos passos principais pra construção de uma marca. É importante lembrar que a essência deve ser constantemente vigiada para que a marca mantenha sua consistência e seja coerente. A essência não deve mudar nunca.

Que caminho devo seguir para encontrar a essência da minha marca?

Duas dicas iniciais importantes são: Reserve um tempo para pensar quem é você (construir sua identidade) e seja 100% leal àquilo que nasceu com você e até hoje não foi perdido.

Depois de ter isso em mente, é só partir para as seguintes reflexões:

  • Escreva a história da criação da sua marca. Defina de onde ela veio e quais são os pontos importantes da criação dela. Pense muito nos valores que guiam a sua empresa a fazer o trabalho que ela faz. Perceba como as pessoas notam a sua marca e o que elas mais elogiam. Crie significado. Olhe para dentro e veja o que a sua marca oferece. Olhe para fora e veja o que o mercado demanda. Estude comportamentos e acerte essa sintonia de maneira que tenha nexo com a sua marca.
  • Pense na marca como algo maior do que o seu produto. O que a sua marca pode trazer para a sociedade em geral? Qual é o propósito dela no mundo? Que bandeiras ela levanta?
  • Qual a emoção que as pessoas devem sentir ao entrar em contato com a sua marca? O que pontes você constrói para que as pessoas recebam essa emoção de fato?
  • A essência de marca tem muito a ver com a cultura corporativa. Que sentimento reina dentro da sua empresa e merece ser comunicado para fora?

Ter uma essência bem definida é primordial para que a marca caminhe para se tornar relevante para todos os seus públicos de interesse. A chave é se atentar para as bases de identidade e personalidade da marca. Pra isso, pergunte-se sempre e comece a agir para fazer sentido e significado. Não esqueça: ter consciência de que a empresa precisa descobrir a sua essência já é um grande passo, mas contar com um profissional que entende do assunto nessa jornada pra organizar os pensamentos junto com você pode fazer os resultados chegarem de forma mais rápida e certeira.

Next Post Share Post :

More Posts

Leave a Reply